sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Os bebês também cantam!


Nova pesquisa mostra como o canto interfere no desenvolvimento intelectual de seu filho a partir do balbuciar dos primeiros sons
 Shutterstock
                                                                                                                                     

Sabe aquele dá, dá, dá, que seu filho balbucia nos primeiros meses de vida?
Ele pode ser um indicativo do desenvolvimento da inteligência. Pelo
menos, esse é o resultado de um estudo feito pela Universidade Federal
de Minas Gerais. Segundo a pesquisadora Maria Betânia Parizzi, quando
  canta espontaneamente, a criança também está se desenvolvendo, como
acontece quando começa a desenhar, falar e andar.


Para chegar a essa conclusão, a Universidade reuniu dez jurados, entre
brasileiros e estrangeiros, compositores e educadores musicais, para
analisarem 40 cantos de crianças com idade entre 2 e 6 anos. A análise
levou em conta padrðes musicais, como ritmo e estrutura melódica. O
estudo comprovou que o desenvolvimento musical infantil pode ser
observado pela existência de padrðes musicais na fala das crianças. É a
existência ou não desses padrðes que mostra, dentre outras coisas, como
crianças pequenas percebem o tempo , ou seja, o intervalo entre as
palavras, a diferença entre o som e o silêncio, etc. “O canto infantil
também pode indicar algum problema ou dificuldade no desenvolvimento
intelectual”, resume a professora. Mas, claro, quem pode avaliar isso
são somente os especialistas. Os pesquisadores apostam que, daqui a
algum tempo, o canto pode ser uma ferramenta para diagnosticar algo
  importante no crescimento da criança.


Mas o que esse dá, dá, dá tem a ver com canto? A música para as crianças é 
muito diferente do que aquela a que estamos acostumados. Por isso, é provável
que nessas sílabas aleatórias já exista sequência e melodia. Com o
passar do tempo, o canto vai mudar. Assim como as outras habilidades,
ele varia de acordo com a idade e evolui de forma previsível, como
acontece com a fala.


Quer uma ideia de como seria uma criança emitindo sons musicais? Acesse o site da Universidade Federal de Minas Gerais e veja alguns exemplos de crianças que participaram da pesquisa. 
Fonte: Revista Crescer

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário